sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Superfaturamento

Suspeitas de superfaturamento na ordem de R$ 34,4 milhões nas obras de rebaixamento da linha férrea de Maringá levaram o Tribunal de Contas da União (TCU) a determinar a suspensão dos pagamentos às empresas responsáveis pela execução e fiscalização da obra. A decisão, tomada na quarta e divulgada nesta quinta-feira (11), determina que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) se abstenha de repassar recursos à Prefeitura de Maringá para as obras da Via Expressa e de prolongamento do rebaixamento da linha férrea.

O acórdão 189/2010 do TCU também determina que a prefeitura não repasse o dinheiro do Dnit às empresas CR Almeida e Vega Engenharia, encarregadas pela execução e fiscalização das obras, respectivamente. De acordo com a prefeitura, as obras de rebaixamento e construção da Via Expressa estão 95% concluídas. Os restantes 5% custariam entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões, valor que poderia ser bancado pelo Município após o recebimento da intimação para suspender o repasse dos recursos federais às empresas.Leia mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

;